Você está aqui: Capa » Artísticos » Arte na educação

Arte na educação

Artigo publicado na Revista Sabor de Escola, número 1, maio de 2007, p.20-21.

O ensino compartimentado sugere aos alunos uma conseqüente divisão do mundo e da natureza em “matérias” e espaços diferentes. Sugere uma falsa idéia de separação de idéias e disciplinas que não existe no mundo real. Quem nunca ouviu de um aluno frases como “mas você não é professor de matemática!”, ou “você é professor de ciências, não de português!”… Uma visão integrada do mundo ajudaria, por sua vez, ao aluno entender este mesmo mundo que o cerca e do qual ele faz parte.

Desta forma, diversos trabalhos e projetos dentro e fora de sala de aula são fundamentais para um processo integrado de ensino-aprendizagem e uma mudança de postura entre os(as) professores(as) das diversas disciplinas na busca de uma educação completa.

Sabemos, por outro lado, que muitos problemas, em maior ou menor grau, se impõem como obstáculos ao trabalho do(a) professor(a): grande número de alunos em sala, falta de materiais, pouco tempo dentro da escola, poucas horas livres (fora de sala), poucas oportunidades de formação, falta de apoio externo às atividades em sala de aula (orientação educacional, psicólogo, assistência à família, etc.).

Por conta destes problemas, todos os recursos que se puderem utilizar para as aulas, são bem vindos. O uso das diversas linguagens artísticas, por exemplo, pode se configurar em um valioso aliado à educação, seja em qual disciplina for e, melhor ainda, quando utilizado para o trabalho em conjunto destas disciplinas. A arte na escola não deve ficar restrita aos reduzidos dois tempos da grade curricular, nem ficar restrita somente aos momentos “agradáveis” e de lazer. Este lazer e este agradável que são aliados do fazer da arte, também podem e devem ser utilizados nas aulas de quaisquer disciplinas.

Podemos assim, com o uso da arte em sala de aula e em nossos projetos, resgatar o lúdico a posições de destaque em nosso cotidiano escolar, transformando este cotidiano em um dia-a-dia mais agradável, dando mais sentido à aprendizagem, que passa a ser vista não mais como um obrigação trabalhosa, maçante, não criativa e alienante.

Como dito, as diversas linguagens artísticas se tornam aliadas neste processo: a expressão plástica, os jogos didáticos, o teatro, a música, a poesia… Não se trata de se especializar ou se profissionalizar em uma arte, mas utilizá-las livremente na construção do conhecimento por parte do aluno. Este saber construído tanto pode ser dentro da sala de aula, em uma disciplina específica – porém sem “encaixotar” o conhecimento na disciplina – quanto em projetos de trabalho.

O teatro, por exemplo, como jogo didático, possibilita à criança uma tomada de consciência de si mesmo, estimulando a exploração, a procura e a descoberta de novas formas de relação com o mundo e tudo o que a rodeia. O “faz-de-conta”, tão espontâneo nos primeiros anos do indivíduo e abafado com o passar do tempo, é incentivado e realimentado, expondo possibilidades de vermos as coisas de outro ângulo, que não o nosso, oferecendo como que um “ensaio” à vida real.

As artes plásticas (desenho, pintura, colagens), despertam o espírito criativo das crianças, tornando as aulas mais interessantes, provocando a descoberta de novos conhecimentos, novos valores, unindo sensibilidade à formação do caráter e ao desenvolvimento da inteligência.

A poesia, a prosa, a literatura infantil, enfim, a linguagem escrita, tanto na sua produção quanto na sua leitura, incitam imensamente a criatividade dos alunos, produzindo uma grande cumplicidade e interatividade entre autor e leitor. Tanto aquele que escreve quanto aquele que lê se lançam em um mundo novo, onde a aprendizagem é leve, fácil, prazerosa.

Como professor de Ciências da Escola Municipal José de Anchieta há sete anos, procuro trabalhar com estas diferentes linguagens sempre que possível, aliadas ao trabalho em sala de aula e aos projetos. Dentro do projeto de educação ambiental da escola, por exemplo, que foi desenvolvido até o ano de 2002, trabalhamos, entre outras atividades, com teatro, arte com sucatas, construção de maquetes, produção de poesias. Ao mesmo tempo que desenvolviam atividades artísticas, as crianças construíam o próprio conhecimento sobre o lugar onde vivem e o mundo que os cerca.

Mesmo dentro de sala, na relação de construção dos conhecimentos curriculares, os alunos são incentivados, em diversas ocasiões, a produzir e interagir com as linguagens artísticas que forem possíveis, com o mesmo propósito de aliar o lúdico ao processo de ensino-aprendizagem, buscando tornar a aula um tempo prazeroso dentro da escola.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
Artista

Curso online de Arteterapia

Sobre Declev Dib-Ferreira

Declev Reynier Dib-Ferreira é professor, biólogo, educador ambiental, especialista em EA pela UERJ, mestre em Ciência Ambiental pela UFF, doutor em Ciências pela UERJ.

11 comentários

  1. Gostei muito desse texto…
    Pena que a maioria dos educadores não tem “tempo”, ou seria “vontade” de sentar alguns minutos e fazer reflexos sobre suas atividades. Sou arte-educadora e acredito muito na questão que temos que mostrar aos educando que eles precisam desenvolver a sua criatividade. As aulas de arte não são para formar artistas, mas sim para desenvolver cidadãos que possam estar envolvidos com o mundo. Precisamos desenvolver cada vez mais a criatividade, só assim, eles irão desenvolver suas potencialidades, tanto artisticas como intelectuais.

  2. Olá Fabiana, muito obrigado.

    Falta vontade sim, mas também conhecimento, parceria entre professores, estrutura na escola… O fato é que não devemos deixar de fazer por conta das dificuldades.

    Abraços.

  3. Sou totalmente a favor da arte como linguagem, auxiliando o professor das diversas disciplinas, até mesmo porque realmente elas (as disciplinas) não estão separadas no mundo! (concordo com vc, prof.).
    Sou arteterapeuta, o que me dá um instrumental para atuar tanto em Saúde (sou psicóloga) quanto em Educação (sou orientadora educacional), mas, na prática, pouco pude utilizá-la na escola onde estou há 3 anos, já que os “conteúdos” das matérias “sérias” ainda são colocados na frente de tudo…
    Parabéns pelo texto, professor!!!

  4. Livro de Teatro Educação!
    Olá! Fiz uma comunidade para o meu livro “O Teatro como FErramenta Pedagógica” e gostaria que vcs participassem!
    Lá tem algumas peças disponíveis pra vocês lerem e espaço para vocês dizerem o que acharam!
    Conto com vocês!

    Para visualizar a página da comunidade ‘O Teatro Como Ferramenta’, acesse: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=49903577
    Aproveite essa chance! Por Apenas R$18,00 vc terá o livro completo!
    Acesse:
    http://www.corifeu.com.br/index.asp?secao=2&categoria=47&subcategoria=0&id=104

  5. Acredito na prática pedágogica intimamente ligada as artes, principalmente na alfabetização,este artigo veio enriquecer meu pensamento. Caso tenha mais artigos gostaria de receber.Estou formulando meu TCC nesta linha de arte e educação.
    aguardo,
    Blanca

  6. Gostei muito do artigo. Arte e Educação, juntas, podem abrir muitos caminhos, muitas possibilidades e é isto que venho buscando (e tenho conseguido) na escola… E, para todos nós envolvidos no processo (alunos, professores e famílias) faz a diferença!

  7. MEU TCC É SOBRE ARTE E RECICLAGEM COMO POSSIBILIDADE DE TRANSFORMAÇÃO EDUCACIONAL, GOSTEI MUITO DESTE PORTAL, PARABENS!!!

  8. SOU PROFESSORA DE ARTE E FICO INDIGNADA QUANDO ENTRE NOSSOS COLEGAS EXISTEM BARREIRAS CONTRA A ARTE.VEEM A ARTE COMO UM “NADA” E PASSA ISSO AOS NOSSOS ALUNOS, FAZENDO ACREDITAREM QUE A ARTE É SIMPLES TERAPIA E QUE CONTEÚDOS VALEM MAIS DO QUE AS AULAS PRÁTICAS DE TEATRO,DANÇA E MÚSICA.NÃO DÃO ESPAÇO PARA A ARTE.NÃO INCENTIVAM PARA UMA EXCURSÃO EM PELO MENOS EM UM MUSEU DE ARTE .NÃO COLABORAM COM MATERIAIS .ENFIM, NÃO ACEITAM A ARTE COMO TRANSFORMADORA DOS SERES HUMANOS NA CRIATIVIDADE,NO ALTO CONTROLE EMOCIONAL ,NA PERSONALIDADE SENSÍVEL E SOCIAL, NA PERCEPÇÃO E POR QUE NÃO:AJUDANDO NA INTELIGÊNCIA RACIONAL!SEM ARTE NÃO A TRANSFORMAÇÃO DO SER HUMANO!A ARTE ESTÁ PARA A MATEMÁTICA COMO A MATEMÁTICA ESTÁ PARA A ARTE .PORQUE NÃO ENTRAR PARA ESTE EQUILÍBRIO.PROFISSIONAIS AINDA NÃO DESCOBRIRAM O VALOR ESPECIAL DA ARTE NO MUNDO!HOUVE UM TEMPO QUE TENTARAM ACABAR COM ELA E HOJE VEMOS O REFLEXO DISSO!CRIANÇAS QUE NÃO TINHAM AULAS DE ARTE FICARAM SEM PERSONALIDADE,INVENTANDO MODA NAS DROGAS ,DESENCADEANDO VIOLÊNCIAS DIVERSAS HOJETANTA VIOLENCIA DE JOVENS HOJE .FALTA DEUS(CRIADOR DO UNIVERSO E DO HOMEM) E A ARTE!ELA É NECESSÁRIA PARA SEMPRE NO SER HUMAN!AFINAL,A NATUREZA É UMA ARTE!POSSUI CORES ,FORMAS , LINHAS EM MUITAS DIREÇÕES.VIVA A ARTE!!!VIVA O ARTISTA CRIADOR !VIVA A VIDA CHEIA DE COR PARA QUEM LEVA -A COM MUITO AMOR!EMÍLIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>