Arquivo da categoria: Política

Corrupção do pt, Justiça e Inocentes úteis

Eu não sou petista, não mesmo. Gosto de alguns políticos aqui, outros dali, de partidos diversos, inclusive do pt, mas também de outros.

Mas sou crítico a todos também.

Por exemplo, aqui mesmo no mio virtual, no facebook, tenho vários amigos do pt e critico sempre o prefeito de Niterói, que é deste partido, mas, para mim, parece ser do pmdb – e isso não é um elogio, considerando-se o pmdb do Rio de Janeiro e a “amizade” que o prefeito mantém com os bandidos políticos deste partido.

Então, certa vez, criticando veementemente uma ação desta prefeitura, acho que na página do vice prefeito ou de um vereador da posição – como disse, tenho vários amigos petistas… – recebi uma resposta “padrão”, daquelas que a cegueira ideológica e governista faz as pessoas  fazerem. E esta cegueira governista acomete a todos os lados, não se enganem.

Voltando. Eu estava falando a reforma milionária feita na rua mais urbanizada e cara de Niterói, a Moreira César. Nesta rua, a mais cara e elitizada de Icaraí, no bairro mais caro e elitizado da cidade, só moram as pessoas com mais grana da cidade. E a rua JÁ É, como eu disse e repito pela terceira vez, a mais urbanizada e elitizada da cidade.

Mas a prefeitura – do pt, vejam que “ironia” – está fazendo uma “reurbanização” milionária nesta rua!

E, quando eu critiquei (no Facebook), dizendo que há bairros na cidade que mereciam uma urbanização – e não uma “reurbanização”, pois nunca tiveram nada – não têm asfalto, nem calçadas, nem nada – disseram o asseclas e o povo com cegueira governista: “um de cada vez”, “tem que começar com algum lugar”, “eles vão fazer ali, depois vão para os outros bairros”, blábláblá.

BULSHIT!

É sempre o mesmo discurso!

São mais de 500 anos trabalhando só a favor das elites e contra o povo! NUNCA vão chegar naqueles bairros. Se não forem AGORA, efetivamente, para aqueles bairros, nunca vão chegar lá!

NÃO EXISTE “um de cada vez” ou “aqui primeiro, depois lá”, se não se começar de baixo!

Primeiro, é para quem precisa, para as urgências, para quem não tem nada, para quem nunca recebeu nada.

Outro caso: combate à corrupção ou combate ao pt?

Então, neste caso do “combate à corrupção” envolvendo o pt (agora minha crítica se volta aos outros partidos), a justiça, a polícia brasileira e uma boa parte da população que podemos denominar pejorativamente de “coxinhas” parecem que só vêem corrupção no pt e nos petistas.

Os outros, de outros partidos (especialmente os de direita e oposição, como psdb, pmdb, pp, dem) dançam em cima da constituição, cagam em quaisquer princípios, roubam a olhos vistos e NADA acontece.

Eu poderia dar aqui dezenas de exemplos, mas acho que vocês já os conhecem.

Então, da mesma forma que o exemplo lá de cima, é muita inocência achar que vão “chegar em todo mundo” só porque estão correndo atrás dos petistas.

NÃO VÃO chegar aos outros SÓ porque estão indo contra um determinado partido. Estão indo contra os petistas porque é um jogo político SUJO. Há muitos interesses sujos neste meio.

Não fazem isso porque estão indo “contra a corrupção”, mas estão indo a favor de interesses deles. Se assim não o fosse, já teriam ido atrás de “todos”. Não precisariam “começar” pelo pt, pois não foi o pt que “começou”.

Ficar feliz porque “pelo menos estão processando e prendendo alguns, mesmo que de um só partido” é uma imensa idiotice, uma imensa burrice, uma imensa falta de honestidade.

E por quê? Ora, basta pensar um pouco: se, na verdade, é um jogo e perseguição políticas contra o partido que hoje está no poder, o que vai acontecer quando (e se) este partido, o único perseguido, sair do poder?

Isso, isso: a corrupção vai continuar correndo solta!

E não é isso o que queremos, certo? O que queremos é que a corrupção seja perseguida em TODOS os níveis, TODOS os partidos, em TODAS as datas, em TODAS as instituições.

E isso NÃO VAI acontecer só por conta da perseguição a um único partido.

Ou não é o que você quer? O que você quer é só ver políticos “do pt” presos?

Se é este o seu caso, você merece o país que temos, você é igual a ele.

Se não é este o seu caso, não seja um inocente útil, batendo panelinha e palminha nas janelas SÓ quando algo acontece a UM único partido.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
contra a corrupção per si

Manifesto Educadores Ambientais com Dilma

Independente de minhas próprias posições políticas, abro um espaço para divulgar, a pedido de amigos, este manifesto.

No primeiro turno eu votei, com muita consciência e convicção, na Luciana Genro. Neste turno estou em dúvida entre duas opções: votar na Dilma ou anular o meu voto. Para mim só há estas duas alternativas.

Na primeira opção (Dilma), por conta dos avanços sociais que o Brasil vem registrando, inegáveis.

Na segunda opção (nulo), por conta dos 50% de críticas que tenho – e não são poucas [tema para outros artigos].

“E a terceira opção, Declev?”, podem perguntar alguns leitores. Never, respondo eu.

Então, como dito, abro este espaço para a divulgação deste manifesto, capitaneado por amigos queridos por todo o Brasil.

Eu apoio o manifesto, mesmo sem meu nome estar incluso. Independente de qualquer coisa, vale a leitura e a reflexão.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
Pensando

Educadores Ambientais com Dilma

O atual momento em que se encontra o processo político brasileiro exige posição. Com a eleição de uma bancada extremamente conservadora, nunca na história do país as pautas progressistas tiveram tantos ataques.

Nós educadores ambientais abaixo assinados, participantes de ONGs, Redes, Universidades, escolas e mais diferentes espaços sociais temos lado.

A sustentabilidade ambiental e os direitos humanos estão intrinsecamente conectados e defendemos que estes temas precisam estar internalizados nas políticas públicas.

Compreendemos a necessidade de avançarmos em muitos aspectos, mas não podemos negar as conquistas estabelecidas no último período, fruto de compromisso político e, acima de tudo, a concretização de espaços de participação social que deram voz a diferentes atores sociais.

Por tudo isto, neste momento, defendemos a continuidade de iniciativas que tem transformado o Brasil na perspectiva da emancipação e da inclusão social.

Desde 2003 temos produzido avanços significativos, que vão à direção da institucionalização da educação ambiental no Brasil. Podemos destacar os processos conferenciais adulto e infanto-juvenil, os coletivos educadores, salas verdes e tantas outras propostas as quais nos identificamos e fomos protagonistas em sua implantação, especialmente, dando voz a crianças e adolescentes.

O Governo Dilma, neste sentido, deu duas valiosas contribuições. Primeiro, a criação do Programa de Educação Ambiental na Agricultura Familiar (PEAAF) e, recentemente, o Programa Nacional Escolas Sustentáveis, ambos em diálogo com o fortalecimento da Política Nacional de Educação Ambiental (Pnea), do Programa Nacional de Educação Ambiental (Pronea) e na Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental (Encea).

Os governos petistas têm como marca o fortalecimento da EA com diversos programas de formação para professores e educadores populares, enraizamento com o fortalecimento das CIEAs, CEAs e Salas Verdes e empoderamento de comunidades e territórios.

Compreendemos que há muito por fazer na direção de uma sociedade verdadeiramente sustentável, mas os modelos neolibeirais não podem voltar ao cenário político brasileiro por todo retrocesso que representam às políticas públicas e especialmente, no papel protagonista do Estado.

Com base nestes argumentos, apoiamos a reeleição da presidenta Dilma e encorpamos a luta por mais direitos em direção a um Brasil cada vez mais justo, inclusivo e sustentável!

Assinam o documento:

1. Alexandre Alves de Sousa – CJ – GO
2. Alexandre Cougo de Cougo – UFMS – MS
3. Alexandre de Gusmão Pedrini – REARJ – RJ
4. Anderson de Souza Vicente – IBAMA – RJ
5. Anderson Mendes Souza – UFPR/Movimento Mudança/CJ – PR
6. Andre Lemes da Silva – FURG – RS
7. André Luís da Silva Lima – CJ-Kairós – MS
8. André Paulo de Barros – Rede de Defesa Ambiental do Cabo de Santo Agostinho – PE
9. Angélica Cosenza – UFJF – MG
10. Associação dos Criadores e Promotores de Saberes e Práticas Sustentáveis/Casa dos Saberes/ Rede Municipal e Estadual de Educação de São José do Norte
11. Aurici Azevedo da Rosa – Grupo Maricá – RS
12. Beatriz Consuelo Stark – UFRGS – RS
13. Carla Loba – REPEA – SP
14. Celso Sánchez – UNIRIO – RJ
15. Cintia Barenho – CEA – RS
16. Cíntira Santos Rodrigues – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – BA
17. Claudia – Ambiente de Ação – SP
18. Claudia Coelho Santos – UESB/RUPEA – BA
19. Clelia Gonçalves – Gregor Mendel – BA
20. Cleria B. Meller – IFF – RS
21. Cristine Carole Muggler – Sala Verde de Viçosa / Museu de Ciências da Terra Alexis Dorofeef/UFV – MG
22. Dal Bezerra – REABA – DF
23. Daliana Amaral Mirapalhete – Palácio Piratini – RS
24. Dalvacir pereira de Araújo – NEA/SUEF/SEEC – RN
25. Daraina Pregnolatto – Guaimbê – GO
26. Debora Pedrotti Mansilla – MT
27. Deyvid Galindo Santos – PE
28. Diogo Damasceno Pires – CJ-GO/REJUMA/REI – GO
29. Dion Kitzmann – FURG – RS
30. Dioniso de Souza Sampaio – UFPA/IECOS – PA
31. Eciele Silva – SEDUC – MT
32. Edilene Santos Carvalho – CIEA – BA
33. Edison Kern – Grupo Maricá – RS
34. Eliza Maria Xavier Freire – UFRN/PRODEMA – RN
35. Érika Ferreira da Silva Bazilio – Gema – RJ
36. Ero Choueri – SAAE – SP
37. Fabio Andre Silva da Silva – Grupo Maricá – RS
38. Felipe Baunilha – SEE – PB
39. Felippe Mousovich Neto Instituto Moleque Mateiro de Educação Ambiental – RJ
40. Franklin de Paula Júnior – DF
41. Gina Rizpah Besen – USP – SP
42. Glaura Cardoso Soares – ICMBIO – GO
43. Gleice Maira Fernandes – REAJO – RJ
44. Heullis souza da silva – CJ – GO
45. Idalécio Santos – COORDENAÇÃO ESTADUAL DOS TERRITÓRIOS – BA
46. Ilana Vitória Leal Pina – COEPI – GO
47. Irineu Andrade – Sítio Araçá – RN
48. Isabel Georgina Patronis Dominguez – PlanTEA – SP
49. Isis Volpi – Centro de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro – RJ
50. Jacqueline Guerreiro Aguiar – Rede IIDEA – RJ
51. Jane Alves Fernandes – MG
52. Jaqueine Érrico – SEDUC – BA
53. Jorge Amaro de Souza Borges – REASUL – RS
54. Julia Carneiro Rossi – UFRJ/Muda Mará – RJ
55. Juliana Malavasi – SP
56. Julianne Medeiros – SEDUC – GO
57. Karla Gouvêa – CJ – PA
58. Lakshmi Juliane Vallim Hofstatter – UFSCAR – SP
59. Leila Maria Vendrametto – REPEA – SP
60. Lidiane Averny Sales – Escola Indigena Estadual Hadori
61. Lilian Alves Schmitt – RS
62. Lindinei Alves Porto – REABA/RESAB – BA
63. Luca Silbert – UFRJ – RJ
64. Lucas Machado – Escola Família Agrícola de Goiás – GO
65. Lucia de Fátima Socoowski de Anello – FURG – RS
66. Lucia Kawahara – REMTEA – MT
67. Luciane Goldberg – Universidade Federal do Ceará – CE
68. Luiz Afonso Vaz de Figueiredo – Centro Universitário Fundação Santo André/REPEA – SP
69. Luiza Virginia Duarte – UFG – GO
70. Luzia de Lurdes Severo Lins – MT
71. Mara Santina Maciel de Oliveira – GPEA/UFMT – MT
72. Marcelo Gules Borges – UFSC – SC
73. Márcia Luzia Cardoso Neves – Centro de Desenvolvimento Sustentável e Agroecologia Sapucaia – BA
74. Márcia Valle – MG
75. Marcio Andre Facin – Defesa Civil – RS
76. Marcus Machado Gomes – REASO – RJ
77. Maria Carolina Portes – RJ
78. Maria de Lourdes Cardoso Soares Cantarelli – Aposentada Ibama – GO
79. Maria do P Socorro de Oliveira Rabbett – EEEFM Regina Coeli Souza Silva – PA
80. Maria Henriqueta Andrade Raymundo – SP
81. Maria Izabel Azevedo Marques Birolli – PUC – SP
82. Maria José Carneiro – UFRJ – Rio de Janeiro
83. Maria Rita Avanzi – UNB/RUPEA – DF
84. Marina Silveira – SP
85. Marina Silveira – SP
86. Mario Sergio Cunha Alencastro – UNINTER – PA
87. Martha Tristão – UFES – ES
88. Matilde Pereira Gonçalves – Educadora – BA
89. Mayara Amaral dos Santos – REJUMA – SP
90. Michèle Sato – UFMT – MT
91. Michele Tidisco Padovani – UFV – MG
92. Michelle Jaber – REMTEA – MT
93. Mônica Pilz Borba – Instituto 5 Elementos
94. Neidis Matos Pereira – REABJ – RJ
95. Neusa Veronesi – Associação Mamberti de Cultura – SP
96. Norma Aparecida de Oliveira – MT
97. Nylce Jucá – REASO – RJ
98. Patricia Ferraz da Cruz – COEPi/Rede dos POntos de Cultura/REIA-GO
99. Pedro Roberto Jacobi – USP – SP
100. Rachel Zacarias – UFJF/ GEA – MG
101. Raissa Dias Theberge – UFRJ – RJ
102. Raquel Eufrázio de Santana – UFRPE – PE
103. Rejane Teresinha Dahmer Gomes – Coletivo Educador de Quatro Pontes – PR
104. Renata Rozendo Maranhão – MMA – DF
105. Ricardo Novaes – SP
106. Rita de Cássia Gnutzmann Veiga FURG – RS
107. Roberta Carteiro Pedroso – REPEA – SP
108. Romário Augusto Morais Santos de Souza – CIEA – MT
109. Ronaldo Costa – MMA – DF
110. Ronaldo Senra – IFMT/RMTEA – MT
111. Saguio Moreira Santos – CTA – MT
112. Samia Nascimento – LAPPES – USP
113. Sandra Lilian Silveira Grohe – RS
114. Sara Barroso – Associação dos Amigos do Coqueiro do Alagamar – CE
115. Shaula Maíra Vicentini de Sampaio – UFF – RJ
116. Silvani Mira – GEEMA – RJ
117. Silvano Carmo de Souza – IFMT – MT
118. Sílvia Letícia Silva da Silva – UFPEL – RS
119. Sinvaline Pinheiro – Memorial Serra da Mesa – GO
120. Suíse Monteiro Leon Bordest – UFMT/REMTEA – MT
121. Suzana de Santana Martins – CJ – GO
122. Tadeu Ribeiro da Costa – GO
123. Talita de Cássia Francisco – UFV – MG
124. Thais Alves – UFRJ/Projeto Muda Maré – RJ
125. Valeria Freixedas – SP
126. Valéria Ghisloti Iared – UFSCAR/APASC – SP
127. Valéria Guimarães – PMJF – MG
128. Vitor Hugo Cantarelli – IBAMA – GO
129. Wadson Xavier de Souza – MG
130. Wagner Terra Silveira – SEMA – RS
131. Wanderley Silveira Junior – IFET Sudeste – MG
132. Wisline Alves Araújo – GO
133. Zanna Matos – SEMA – BA