Rio de Janeiro: A agonia de uma Escola Municipal

Por: Professora Jacqueline Guerreiro Aguiar

Sou professora da Escola Municipal Mal. Canrobert P. da Costa desde 1992.

A Escola é do Segundo Segmento (6º ao 9º ano) e se localiza no bairro do Anil, na Área de Planejamento 4 da Cidade do Rio de Janeiro. Dentre alguns indicadores da excelência de sua proposta podemos citar:

Educação Física

  • Participação relevante e vários prêmios em campeonatos: CRE, SME, Jogos Rotary, Jogos Militares…

Educação Física – Escola Inclusiva

  • Na 7ª CRE uma das 2 Escolas convidadas a participar do Programa de Capacitação de Professores, UNICEF

Ciências

  • Escola pioneira na discussão acerca do conceito de Segurança Alimentar e Soberania Alimentar, com as Feiras de Ciências na temática da Alimentação Saudável.

Ciências – Matemática – Artes

  • Por conta do trabalho desenvolvido pelos professores destas disciplinas, a Escola participou de Concurso com várias Escolas do Estado do RJ e foi a única a ganhar stand (gratuito) no I Encontro de Desenvolvimento Sustentável do RJ.

Informática Educativa

  • Escola da 7a CRE a ter no Banco de Capacitadores em Informática Educativa 3 professores;
  • Trabalho realizado pela Sala de Leitura exitoso foi convidado a fazer parte de programas da Multirio;
  • Projeto de Informática Educativa e História visto como exitoso e elogiado pela equipe do RioEduca;
  • Pela excelência do trabalho desenvolvido por alguns professores na Sala de Informática, foi a única escola do Município a ser convidada diretamente pelo MEC a participar do Encontro EDUTEC.

Geografia – História

  • Com projeto sobre o Canal do Anil visto como de excelência pela 7ª CRE, a escola foi convidada por esta a representar a CRE no Fórum 21 da AP4.

História

  • Com projeto na temática Ambiental nossa Escola foi a escolhida para fazer parte do Projeto Gigantes de Pedra durante a RIO+20.

Coordenação Pedagógica – História – Geografia – Ciências

Projeto de elaboração da Agenda 21 da Escola foi considerado exitoso e a única experiência efetiva de Agenda 21 Escolar nas escolas municipais do Rio de Janeiro , o que ocasionou a participação da Escola em programa do Globo Educação, na época da RIO+20.

História – Geografia – Ciências

Projeto na temática Ambiental e construção da Agenda 21 Escolar foi considerado exitoso pela Organização Internacional do Trabalho.

História

Projeto relativo à temática da Democracia e Meio Ambiente foi considerado exitoso pela UNESCO.

Sala de Leitura – Inglês

Ações que vêm possibilitando, mesmo sem a existência de professores de música, participação exitosa nos Festivais de Música da SME.

Historia – Geografia – Português

Ações contínuas, há anos, relacionadas ao resgate da memória histórica dos territórios da Escola e de seu entorno.

Matemática

Projeto de Jogos Educativos e Matemática foi referência em TCC e debatido em Universidades.

Educação Física

Projeto de Jogos Educativos considerado exitoso pela 7ª CRE , o que resultou em Projeto extracurricular.

Geografia

Projeto relacionado ao território de Jacarepaguá considerado exitoso pela 7ª CRE , o que resultou em Projeto extracurricular.

História

Projeto relacionado ao território foi considerado exitoso pela 7ª CRE, o que resultou em Projeto extracurricular.

Mas, mesmo com esta História, que compartilhamos um pouco, a 7ª CRE está levando à cabo um projeto que “finaliza” o Segundo Segmento até o início do ano que vem, transformando a Escola em Escola do Primeiro Segmento, sem que esta decisão tenha sido discutida com professores, responsáveis e comunidade.

Na região onde a Escola se localiza existe grande demanda de vagas e só existem duas escolas de Segundo Segmento e uma nova que está iniciando suas atividades (Ginásio Experimental), escola nova esta para onde estão sendo encaminhados vários dos alunos de 7º e 8º anos, fechando turmas e desorganizando a vida profissional de vários professores.

Os professores não temos clareza do que será de nossa vida funcional, para qual Escola seremos designados, numa atitude completamente desrespeitosa. O Ministério Público já sinalizou pelo fim da “Reestruturação” elaborada pela SME e, apesar da SME e 7ª CRE afirmarem o contrário, o que está ocorrendo com nossa Escola pode sim ser definido como uma “reestruturação”, o que fere a decisão do Ministério Público.

O SEPE já está ciente e invidando esforços no sentido de esclarecer esta situação.

[Este texto foi enviado ao Diário do Professor pela professora de História Jacqueline Guerreiro. Se você tem alguma história, denúncia, reclamação, projetos ou outros que queira divulgar, este espaço está aberto a você: nos envie!]