O que são as “Jornadas” dos Fóruns Brasileiros de Educação Ambiental?

Continuando a série sobre os Fóruns Brasileiros de Educação Ambiental, agora vamos tratar de um de seus elementos principais, as Jornadas.

Mais uma vez, recorro a Jacqueline Guerreiro, que é quase uma biblioteca ambiental ambulante, para nos explicar o que são as Jornadas que ocorrem no âmbito dos Fóruns.

Cada Jornada é organizada por uma ou mais rede do Brasil. A escolha do tema é livre por quem organiza, sendo, obviamente, o tema de acordo com a vida profissional dos enredados ou da rede.

A participação é aberta a todos que querem dar sua colaboração, basta chegar.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira

O que são as Jornadas dos Fóruns Brasileiros de Educação Ambiental

As Jornadas no âmbito dos Fóruns iniciam-se no V Fórum em Goiânia (2004) e consolidam-se no VI Fórum no RJ (2009).

O V Fórum estava sob a coordenação da Patrícia Mousinho, então secretária da REBEA. E quando esta me convidou para trabalhar com ela na estruturação deste Fórum eu sistematizei as discussões sobre a identidade de nossos fóruns a partir do eixo Fortalecimento da REBEA, que era um dos eixos principais desta secretaria da rede. Assim, organizamos o ” espaço das redes” com três territórios : o dos Stands das Redes, o do Encontro da REBEA e os das Jornadas. As Jornadas, neste momento, ainda se configuraram num misto entre demandas das redes e indicações da coordenação do fórum. Era um experimento, diríamos assim.

No VI Fórum, organizado por mim e pelo Declev Dib-Ferreira, este Espaço das Redes se consolida a partir do diálogo constante com os facilitadores das redes da malha da REBEA e então tivemos novamente os Stands das redes, o Encontro da REBEA e as Jornadas:

1- Stands: Seguiram a proposta do V Fórum, ou seja, são stands tradicionais, todos juntos num mesmo espaço, em que cada rede se apresenta aos educadores ambientais presentes ao Fórum. Às vezes, várias redes compartilham um mesmo stand se assim acharem pertinente. Nestes stands são apresentados os materiais elaborados pelas redes, suas histórias, são organizadas atividades. Como estão todos juntos, apesar de delimitados pela estrutura tradicional dos stands de eventos, os seus corredores acabam se tornando “espaços de trocas e diálogos”. É o espaço onde os enredados se encontram, reencontram, tecem parcerias, comem e bebem (as redes levam produtos regionais), cantam e dançam, etc.

Uma questão com relação aos stands é que no VI Fórum pudemos também ter stands para as nossas redes-irmãs. Assim, a REBEA proporcionou stands para o FBOMS e a REBAL.

2- Encontro da REBEA: No VI Fórum, após as discussões anteriores ao evento, decidiu-se que o Encontro da REBEA nos fóruns deveria não apenas ser um encontro “administrativo” da rede, onde várias decisões sobre o funcionamento da rede e os futuros encaminhamentos seriam decididos, mas também deveria ser um encontro onde a rede tecesse posicionamentos políticos claros sobre questões nacionais e globais. Assim, nesta dimensão, o Encontro da REBEA inserido no VI Fórum definiu:

a) a Carta da Praia Vermelha como norteador político dos posicionamentos da rede em questões chave.

b) o apoio da REBEA à Jornada do Tratado de EA, que se consubstanciaria, no que tange aos Fóruns em um stand em todos os próximos Fóruns para as informações acerca do Tratado Internacional de EA de 1992, que é a Carta de Princípios da REBEA.

3 – Jornadas: As Jornadas são organizadas pelas redes, não por indivíduos enredados, são as facilitações das redes que apresentam a proposta, seguindo os eixos do Fórum. As redes possuem autonomia para pensarem o formato, os nomes, os produtos, evidentemente em diálogo com a Coordenação do Fórum. É o espaço onde os saberes e experiências das redes podem ser apresentados aos participantes dos fóruns, já que os espaços mais tradicionais dos fóruns (conferências, mesas, etc.) possuem muitos indicadores a serem levados em consideração na sua organização (políticos, regionais, financeiros…).

No VII Fórum na Bahia (2012) este espaço das redes não foi totalmente consolidado, mas agora no VIII Fórum (3 a 6 de dezembro em Belém), organizado pela Rede Paraense, nos nomes da Marilena Loureiro e do Fidelis Paixão, estes consensos foram reiterados e estes 3 espaços-tempo (Stands das redes, o Encontro da REBEA e as Jornadas) existirão.

No caso dos Stands já estamos coletivamente na Facilitação fazendo um levantamento das redes; as Jornadas já estão também sendo objeto de reflexão e organização; e o Encontro da REBEA ainda deverá ser objeto de reflexão na Facilitação Nacional.

Seguindo nossos consensos, o Colegiado Nacional da REBEA (redes do RJ, do PA, BA, SUL, MS e SP) auxiliará a Coordenação do Fórum na estruturação destas três dimensões, pois dá um baita trabalho.

Apenas para lembrar porque eu e vários já respondemos dúvidas aos montes sobre isso: o próximo fórum da REBEA (IX) será na região Sul do país, pois o consenso estabelecido no V Fórum em Goiânia foi de uma região por vez. Depois, o X retorna ao Centro-Oeste (e a rede do Mato Grosso do Sul, no VII Fórum já apresentou a possibilidade de ser lá).

Por fim, a Jornada do Tratado de EA deverá, seguindo nossos consensos, ter um stand específico. No VII Fórum isto não foi possível, mas temos que viabilizar desta vez.