“tarde?”

depois, não me venha reclamar da falta de memória, da infância inglória, da vitória não reconhecida no jogo lasso da vida, são marcas de um tempo em que já era permitido a ousadia, a rebeldia, agora é tempo de ética, de estética refinada, o tempo de vigília já passou, é hora do fazer, do agir, do transgredir e demolir as cortinas de fumaça que tentam encobrir as nossas mazelas,,, ééééééé!!! aquela mazela: a superlotação da cela, o pó que esfacela, a dengue, a febre amarela, a bulimia da pseudo bela, a anorexia da magrela, o estacionamento sobre a faixa amarela, a bala perdida que atravessa a janela, enquanto tiver criança na rua, o resto é balela,,, seu tempo é agora, faça, aconteça, cometa, já já, não será mais o presente, aliás, o que eu disse até aqui, já é passado, o tempo não espera a sua decisão, ele não poupa ninguém, depois não vá se lamentar que já é tarde…amém…

13 comentários sobre ““tarde?”

  1. Adorei, Dante!
    Disse tudo em poucas palavras. Só mesmo um poeta para fazer isso com tanta beleza! Obrigada por mais esse poema, que já passou (como vc diz…), mas deixou no ar uma vontade danada e tinhosa de novo. 🙂
    E como a Educação precisa de poesia, não acha?!… 😉
    Beijos e abraços…

  2. Educar é escrever , por linhas inexatas, com corpo e mete de gente que nam se sente…
    Escrever é indolente.
    Bjs Regina…
    Dente

  3. A imagem que vc usou aqui, essa montagem, dá uma agonia danada… É quase um tapa na cara da gente! Mas pra acordar, não pra machucar. 😉

  4. Parabéns Prof. Dante. Excelente texto e digno de ser compartilhado.
    Estou enviando para os meus contatos
    Abraço!
    Prof. Rodrigo Santos

  5. o ritimo da rima,a verdade esgrima
    o bom professor ensina
    cuidado com o muro na esquina
    pare,escute
    prosiga

  6. Para declev

    Aprecio muito seu trabalho aqui. Pena que iniciamos nosso papo tão tarde.

  7. Esse texto me remeteu a outro. Veja se as leituras se intertextualizam:
    “Quando se voltaram contra os judeus eu não era judeu e não fiz nada
    Quando se levantaram contra os homossexuais eu não era homossexual e não fiz nada
    Quando se levantaram contra os ciganos eu não era cigana e não fiz nada
    Quando se levantaram contra os velhos e os injustiçados eu não fiz nada
    Quando se levantaram contra mim não havia ninguém para me defender”

Os comentários estão encerrados