Nova colunista do Diário do Professor: Emily Coutinho

Apresento a vocês a nova colunista do Diário do Professor, a professora Emily Coutinho.

É mais uma colega professora – com 15 anos de profissão – angustiada com as condições de trabalho que nos oferecem.

Ora, por que ficamos angustiados?

Porque, simplesmente, nos preocupamos com nosso trabalho, nos preocupamos com nossos alunos, percebemos no dia a dia o que tem de errado com a escola, mas não conseguimos sobrepor às dificuldades.

A Emily vem escrevendo alguns textos analisando essas dificuldades e, agora, vai nos brindar com suas ideias.

Fiquem com a Emily, por ela mesma:

Meu nome é Emily Coutinho, sou professora de História, mas atuo com o primeiro segmento do Ensino Fundamental. Conhecida por muitos como “professorinha” ou “tia”, procuro estar atenta às necessidades dos meus alunos.

Estou há 15 anos no magistério e há 12 anos pertenço a uma rede municipal de ensino.  Procuro sempre me atualizar para melhor auxiliar meus alunos que vivem em uma realidade bem complexa.

Quando me ofereci como colunista do Diário do Professor já estava mergulhada em muitas angústias e a forma que encontrei de extravasar, foi expor minhas vivências e experiências através de textos.

Espero que possa contribuir e trocar experiências com colegas, que como eu, vivem pela Educação e para a Educação, buscando um futuro melhor.

Obrigada Declev, pelo espaço cedido.

Emily Coutinho.

Colaborem, leiam, comentem e venham debater a educação conosco.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira

2 comentários sobre “Nova colunista do Diário do Professor: Emily Coutinho

  1. Amei o site! Fiquei sabendo por intermédio da minha amiga e colega de profissão Emily Coutinho, que agora é colunista desta página. Que maravilha! Beijos.

  2. Bem vinda, Emily!!!!!!!
    Acho FUNDAMENTAL essa troca de ideias e de experiências que exercitamos aqui.
    Fico muito feliz por vc ser mulher e profª do 1º segmento do Ensino Fundamental, onde também trabalhei, podendo trazer as afinidades, mas, também, e principalmente, as diferenças entre acompanhar uma ou duas turmas por ano, durante 4 horas, todos os dias, podendo, assim, conhecer bem mais os seus alunos, do que acontece com os professores de 2º segmento do Ensino Fundamental, que, infelizmente, pelos baixos salários que todos nós recebemos, precisam trabalhar em várias escolas e atender à tantas turmas que nem os nomes de todos os seus alunos conseguem lembrar!…
    Espero que possamos trocar bastante por aqui.
    Abração,
    Regina Milone.

Os comentários estão encerrados