Escolas Sustentáveis – Um pouco do que se tem por aí…

“Escolas Sustentáveis” é um programa do MEC que pretende investir:

  • para a inclusão da temática socioambiental no projeto político-pedagógico da escola;
  • para o apoio à criação e o fortalecimento de comissões de meio ambiente e qualidade de vida (Com-vida); e
  • para a adequação do espaço físico da escola de maneira a aprimorar a destinação de resíduos e obter eficiência energética, entre outras iniciativas

Vamos entender um pouco mais?

Essa compilação eu recebi da minha amiga Jacqueline Guerreiro, sempre atentíssima às questões ambientais.

Copio aqui por achar importante divulgar.

Um pouco do que se tem por aí sobre Escolas Sustentáveis

O Programa  MAIS EDUCAÇÃO tem um eixo sim de ES, a escola deve escolher este eixo…Tem o informe que teria um Edital do FNDE, agora outro informe que terá um  recurso que viria via PDDE e tem ainda o Edital que tá pra sair do FUNBEA.

Aqui no RJ temos o projeto de “Escolas Sustentáveis” da empresa siderúrgica ThyssenKrupp CSA (localidade de Santa Cruz – RJ) . Esta empresa é poluidora, fere os direitos humanos , criminaliza movimentos sociais. A Secretaria de Educação do RJ reconhece este projeto como exitoso. Temos que saber se o MEC também ( !!!???).

Em termos de Formação temos os cursos ligados ao Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), as Universidades que prepararam  material e/ou cursos: UFOP, UFMG, UFMT.

Também relacionado à Formação temos Facilitadores das redes REARJ, REIA-GO, REARO, REMTEA, Rede Olhares da Juventude e REABJ envolvidos em 2 Programas de Formação Educação Ambiental para Professores da Rede Pública de cerca de 50 municípios de Goiás, Mato Grosso, Rondônia, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal.

A indústria Kraft Foods e a Editora Evoluir Cultura mantém um Programa Escolas Sustentáveis com a Prefeitura de Recife. Tem o
“Projeto Escolas Sustentáveis” desenvolvido pela CAVO Serviços e Saneamento,Instituto Camargo Corrêa em parceria com a Prefeitura de Curitiba, a Editora Evoluir e a Essencis Soluções Ambientais. .Projeto Escolas Sustentáveis em Panami, RS, com a empresa Bruning Tecnometal.

A comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa da Paraíba (CCJ) aprovou projeto de lei de autoria do deputado estadual Frei Anastácio (PT), que propõe a criação do programa estadual “Escola Sustentável” e do selo “Escola Verde” na rede de ensino do Estado.

Outra empresa: “Escolas Sustentáveis” promovido por meio de parceria entre a Secretaria Municipal de Educação de Jacareí , a empresa Evoluir Cultural ,a empresa Rhodia e do grupo Solway.

Mais empresa: Escolas Sustentáveis está sendo realizado em Santo André e São Bernardo do Campo Apoiado pelo Instituto Rhodia, por meio da Lei Rouanet, e realizado em parceria com a empresa Evoluir, Educação e Sustentabilidade

O grupo Multi, detentor das marcas educacionais Wizard, Yázigi, Skill, Alps, Quatrum, Microlins, SOS, Bit Company, People e Smartz, terá cerca de 600 escolas sustentáveis até 2013 (cerca de 20% das escolas da rede).

Projeto “Escolas sustentáveis”l, na Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ/USP). Promovido pelo Instituto ESTRE de São Paulo e Laboratório de Educação e Política Ambiental da ESALQ (OCA), com o apoio da Secretaria de Educação de Piracicaba.

Percebam a quantidade de empresas “interessadas” em Escolas Sustentáveis.

Coincidência?

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
Na escola

 

3 comentários sobre “Escolas Sustentáveis – Um pouco do que se tem por aí…

  1. Com certeza a educação ambiental deve ser inserida de forma mais relevante nas escolas de maneira que venha a ser algo realmente produtivo em termos não somente de ensinar, mas primordialmente em possuir objetivos de se por em prática na vida escolar e social como tudo o que se pratica no dia a dia.
    Eu atuo em algumas escolas no Projeto Mais Educação e vejo que existem muitas falhas no sentido de em primeiro lugar haver um apoio muito vago em todo o projeto que é jogado para uma coordenação sem preparo e que escolhe pessoas sem conhecimento para atuar e pior ainda que não vincula nenhum contrato de trabalho ou de ganho o que causa um total desestímulo de desenvolver ou continuar no projeto.
    Penso que é de suma necessidade agregar tudo o que diz respeito ao meio ambiente em termos de se dar as pessoas e aqui no caso a educação uma formação, um conhecimento para que se construa uma sociedade mais consciente de que tudo o que existe no meio ambiente carece de ser preservado e que somente a partir de uma educação pautada em projetos sustentáveis com responsabilidade é que poderá existir um mundo melhor e mais produtivo no que tange a sustentabilidade.

    • Pois é, Adriana, o trabalho com a sustentabilidade e o meio ambiente nas escolas não pode se dar somente por meio de projetos pontuais ou com pessoas contratadas por tempo limitado. Tem que ser contínuo e com pessoal de carreira e bem formado. Será que chegaremos lá?

Os comentários estão encerrados