“linguaprendendo”

gosto de brincar com a língua que mais conheço, só que , às vezes, me esqueço se uso “ésse” ou “c-cedilha” então procuro na cartilha ortográfica pelo que é certo, aí desperto na página vinte, onde leio o seguinte: “vovô viu a vulva da vovó”; “g” de girino; “j” de jiló e o galo: cocorocó… gosto que me enrosco de usar e abusar da gramática, figura tão simpática, burilar o ortoepismo: prosopopéia, eufemismo, oralidade, verbalismo… brinco assim, a toda hora, com a língua que mora comigo, na “bocadela” eu me ligo, cacofonia é um perigo… digo um período composto; vocativo provocativo e aposto deposto, tudo pro gosto de freguês… sinto no meu rosto o português… posto que, chegou a minha vez, quero três formas verbais: particípio e infinitivos pessoais e vegetais… “aliás” tem acento agudo e, tudo que não sei pergunto, aí guardo e junto pra usar mais na frente… brinco contente com esta língua diferente; futuro, passado e presente… sigo reto como um objeto quase direto ou um sujeito oculto e secreto… brincando, sigo em frente, escrevendo enquanto vou vivendo, crescendo e linguaprendendo…

Dante Pincelli

3 comentários sobre ““linguaprendendo”

  1. Delícia!
    Brincar com a língua, poetizar… forma gostosa de descobrir, colorir, musicar, encantar, quebrar os muros, juntar as vozes, aprender, sorrir, estontear…
    Adorei, Dante!!!
    Mais uma vez, bem vindo! A arte pede passagem!!!
    Beijos,
    Regina.

  2. Brincar com a língua é coisa séria.
    Obrigado Renata e regina, espero continuar agradando… e linguaprendendo.
    bjs

Os comentários estão encerrados