As diversas personalidades em uma escola

Este texto é uma pequena e modesta crônica sobre os tipos de alunos que existem na escola. Na verdade escrevi pensando em quando eu era aluno – e nos meus colegas… Mas creio que podemos adaptar à nossa qualidade de professor(a).

Divirtam-se…

 

A escola, com seus diminutos habitantes, nos dá uma visão resumida da comunidade. Nessas crianças encontramos as diversas personalidades das pessoas que nos cerca mundo afora. É um indício das qualidades e defeitos que o ser humano traz dentro de si, às vezes por aprendizado (dentro de casa, através dos colegas, pela televisão), e muitas vezes inato ao ser que habita aquele corpo.

Lembro-me de diversos e diversos companheiros de escola. Lembro-me vagamente até do primeiro dia que entrei no jardim de infância. Desde este dia em diante convivi, diariamente, com uma gama infinita de personalidades. Alguns causaram-me admiração e eterna amizade; outras ânsias e hoje em dia indiferença.

Algumas dessas “personalidades” ou “jeito de ser” são marcantes. Há em qualquer escola ou outro conglomerado de pessoas. Você mesmo, com certeza, vai lembrar de vários coleguinhas seus que passaram por sua vida.

Darei alguns exemplos:

a) C.D.F. – É… o famoso “C… De Ferro” existe em qualquer sala de aula. Geralmente ele é o caladão, tido até por antipático pelo grupo, pois não gosta de dar cola nas provas. Tampouco gosta que façam cópias de seus cadernos. Come a merenda meio que escondido para não ter que dar “uma mordida” para ninguém e é, quase sempre, ruim de bola, se não for o pior da turma;

b) O Tímido – Esta característica se funde muito bem com a primeira. Às vezes o tímido é o mais feio e, justamente por isso, é tímido. A maldade inerente à criança, que se não for corrigida, o acompanha até a idade madura, não o faz esquecer: “Ô chockito!!!”; “Lá vem o narigudo, vamos ter falta de ar…”; “Voa aí Dumbo!” e por aí vai;

c) O Garanhão – Este é o oposto da opção anterior. Geralmente é bonito, admirado pelas mulheres e está sempre namorando uma menininha. Se for bom de bola então, todas do colégio ficam doidas por ele;

d) O Chato – Hiii… esse é chato até de lembrar. Como já falei, a criança tem uma maldade inerente e não deixa escapar nada: “Sujou, lá vem o chato!”. Esse raramente consegue arrumar alguma namorada; ela fica logo mal falada no colégio todo: “Nossa, como é que você tem coragem?!?”. Geralmente suas características mais comuns são: falar cuspindo (o que o pessoal não perdoa), cutucar insistentemente seu colega enquanto está conversando, aliás, falando, porque o chato fala demais e não dá chance a ninguém. É considerado também o “desmancha bolo”, porque quando chega, disfarçadamente, vai cada um para um lado;

e) O Chorão – Aquele que se melindra por qualquer coisa. Chora à toa. Às vezes leva até fama de bichinha, diz que sempre vai contar para o papai ou para a mamãe vocês vão ver só!;

f) O Brigão – Como o nome já diz, briga por qualquer coisa. Geralmente o pessoal não gosta dele; é muito brigão. Toda pelada sai na porrada. Desafia até os professores para “brigar lá fora”. Tem inúmeros inimigos e pessoas com quem não trava relações diplomáticas na escola, um horror! Andam em grupo e se sentem mais seguros com isso, pois sozinhos são, quase sempre, covardes;

g) O Bagunceiro – Nesta categoria creio que se encontra a maioria. São aqueles que, na sala de aula, sentam lá atrás e não prestam atenção em “neca de catibiriba” que as professoras falam. Jogam bolinhas e gaivotas de papel em todo mundo, tentando até acertar a professora. Retiram a carga da caneta bic, mastigam um pedacinho de papel e dão “tiros” na nuca dos coleguinhas que sentam à frente. Os alvos preferidos são, sempre, os CDFs e os tímidos, que sofrem nas mãos deles. No recreio “tocam maior rebú”, levantam as saias das meninas, andam em grupo pelo pátio, conversam alto e soltam palavrões e puns. Vivem indo para a sala do diretor e levando bilhetinhos para, mas os alunos, em geral, têm simpatia por eles.

Claro que, mesmo me referindo em voz masculina , em todos estes se encaixam também as meninas; menos no item (c), que devemos substituir por:

h) As Piranhas – Não são piranhas propriamente ditas as coitadas, mas digamos… namoradeiras. Vivem trocando de namorado e estes, mesmo sem terem feito nada, contam para todos os horrores que fizeram. Todos os meninos querem “pegar”, nenhum deles quer namorar sério por muito tempo, porque corre o risco do pessoas dizer que “ficou maluco?!?”. Muitas vezes são inocentes, mas levam a fama; muitas vezes têm a fama, e são mesmo.

Bem, existem vários outros, mas acho que chega. Com certeza você já relembrou por aí de quase todos os seus coleguinhas de colégio. Eu é claro que me inspirei nos meus. Não, não vou revelar-lhe os nomes, mas quem estudou comigo sabe quem os são. Eu? Onde me encaixo? Ora, deixe para que meus ex-colegas de turma respondam…